logo

Blog

19/02/2018

Uso de E.P.I para uma aplicação segura

A utilização de Equipamentos de Proteção Individual durante o manuseio de defensivos químicos é importante aliada em casos de exposição a produtos considerados tóxicos ao ser humano

Com o início da safra e do período de plantio, também se inicia o período de aplicações de defensivos químicos para proteger a lavoura de pragas, doenças e plantas daninhas, garantindo assim uma lavoura sadia e uma alta produtividade no período da colheita. Entretanto, os defensivos químicos como inseticidas, herbicidas e fungicidas são tóxicos, e a exposição a esses produtos pode causar intoxicações graves ao ser humano. Por isso, é necessário o uso de equipamentos adequados para o manuseio e aplicação desses produtos. Os E.P.I.s (Equipamentos de Proteção Individual) são indispensáveis ao trabalhador rural e são garantidos por lei, sendo o empregador obrigado a fornecer o equipamento para seus empregados. Por outro lado, o empregado que não fizer utilização desse equipamento, mesmo com o fornecimento do seu empregador, pode ser demitido por justa causa. O trabalhador rural deve fazer uso dos E.P.I.s em todas as etapas do processo de aplicação do defensivo químico, desde a preparação da calda até a lavagem das embalagens e do tanque aplicador após a aplicação. Os tipos de E.P.I.s utilizados podem variar de acordo com o tipo de produto, mas é indispensável que o trabalhador utilize luvas (que protegem as mãos do contato com o produto), óculos, jaleco e calça hidro-repelente, touca árabe, botas impermeáveis, e máscaras, que protegem as vias nasais e evitam que o operador aspire gases tóxicos. Por isso, para a sua segurança e para uma aplicação eficaz, utilize corretamente os equipamentos de proteção individual. E caso precise de equipamento para realizar a pulverização em sua lavoura conte com a Agrishare! Principais tipos de E.P.I.s: • Boné Árabe • Óculos de proteção • Protetor Auricular • Colete reflexivo ou Roupa com faixa reflexiva • Botina com bico de aço • Perneira de couro Por Natalia Novaes

Voltar